Roberto Freire: Eleição de Rodrigo Maia é ‘vitória do Brasil’ e representa ‘marcha da sensatez’

Roberto Freire: Eleição de Rodrigo Maia é ‘vitória do Brasil’ e representa ‘marcha da sensatez’

A vitória do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), eleito na madrugada desta quinta-feira (14) o novo presidente da Câmara, representa mais um passo da “marcha da sensatez” em curso na política brasileira. A avaliação é de Roberto Freire, presidente nacional do PPS, em entrevista concedida ao programa “Portugal Dentro de Nós”, da Rádio Trianon (AM 740 KHz).

“A vitória, hoje, é do Brasil. Há vários vitoriosos, e nós nos integramos nisso. O PPS, junto com o PSDB, o PSB e o DEM, que apresentaram a candidatura de Rodrigo Maia. E ele, com sua capacidade de diálogo, viu sua candidatura crescer e se viabilizou”, afirmou o parlamentar.

“O outro vitorioso é o governo Temer, pois os dois candidatos que disputaram o segundo turno [Maia e Rogério Rosso, do PSD] apoiam o governo de transição. E, com isso, é uma vitória do Brasil, pois a figura do presidente da Câmara restaura o respeito à Casa”, prosseguiu o deputado.

Na entrevista aos apresentadores Martins Araújo e Adriana Cambaúva, o presidente do PPS ressaltou que a eleição de Maia significa “uma retomada de certa normalidade” política e institucional no país. “Hoje, por exemplo, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) já negou o recurso de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e encaminhou para o plenário a votação da cassação de seu mandato”, lembrou Freire, em alusão ao processo contra o ex-presidente da Câmara. “Estamos começando a ter uma marcha da sensatez em curso no país.”

Para o deputado, a partir da eleição de Maia, será possível dar maior estabilidade política ao governo interino até a votação final do impeachment de Dilma Rousseff no Senado. “Conseguimos avançar. Houve votações importantes que encaminham o ajuste econômico e dão sustentação política ao governo, ajudando a que se renove a esperança de que possamos sair da crise”, afirmou.

“Não será nada fácil, ainda existem problemas, mas algo foi feito. Agora vamos ter, sem nenhuma dúvida, uma pauta de votação no sentido de ajustes e reformas que precisam ser feitas”, concluiu o parlamentar. (Fábio Matos)